Mídia em debate: pelo direito humano à comunicação


JORNALISTA DEFENDE A DEMOCRATIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO

 

Em sua palestra na  I Conferência Nacional de Comunicação do PT, o jornalista Renato Rovai, diretor da Revista Fórum, afirmou que o fortalecimento das mídias independentes é o caminho para vencer a mídia hegemônica. Para ele, o governo federal deveria garantir o acesso à internet, em banda larga, para toda a população.

 

Rovai destacou também que acredita que a internet será o meio de comunicação mais importante, em poucos anos. “Está se ignorando um produto que não é de elite. Uma pesquisa do Ibope diz o seguinte: ao final desse ano 40% dos computadores do Brasil serão da classe C. (...) A internet já não é só de elite e eu acredito que em 2010 será muito diferente. (...) Em 2007, a internet ficou com 8,2% do investimento publicitário. A previsão para 2010, é que a internet fique com 12,3%, superando a mídia revista e encostando na mídia jornal”.

 

Assista a participação do jornalista Renato Rovai, acessando:

http://video.google.com/videoplay?docid=7788664225584804401



Escrito por João Freire às 21h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A MÍDIA TRATA AS MULHERES COM PRECONCEITO E ESTEREÓTIPOS

Ainda na I Conferência Nacional de Comunicação do PT, a psicóloga Raquel Moreno do Observatório da Mulher, apresentou uma palestra sobre as mulheres na mídia. Para a psicóloga, na TV as mulheres retratadas na mídia não pensam. Elas apenas "sentem, acham, choram e se emocionam". Para a pesquisadora, a mídia insiste em tratar a mulher como objeto sexual ou como um enfeite para os programas e publicações. Raquel Moreno criticou o fato da mídia impor modelos inatingíveis de beleza, o que causaria frustração, depressão e outros problemas.

 

Trecho da palestra da psicóloga :

“Onde é que nós (mulheres) aparecemos? Nos jornais e revistas sérios, a gente quase não aparece. É como se as mulheres não fizessem nada. (...) Nas TVs, as mulheres aparecem em 18% das notícias dos telejornais. Há uma sub-representação. (...) As mulheres como autoridades são praticamente inexistentes. (...) No telejornal, a mulher é sempre jovem, branca, bela. Ela enfeita a mesa”.



Escrito por João Freire às 19h15
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PT QUER PRIORIZAR O DEBATE SOBRE A COMUNICAÇÃO

 

A I Conferência Nacional de Comunicação do PT reuniu em uma palestra profissionais importantes, como (na foto, da esq. para a dir.) Renato Rovai (Revista Fórum), Lalo Leal (USP), Raquel Moreno (Observatório da Mulher), Paulo Salvador (Revista Brasil), Celso Schroder (FNDC), mediados pelo secretário de comunicação do PT, Gleber Naime (no centro da foto, de óculos).

 

Cerca de 130 delegados dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal participaram do debate “Mídia, Poder e Guerra Ideológica”, enfocando o papel da grande imprensa na disputa. Na pauta temas como concessões públicas, oligopólio da comunicação, a mulher na mídia e manipulação da informação ocuparam toda a manhã de sexta, no evento.

 

Trecho da palestra do Prof. Lalo Leal:

“Uma população que não sabe que a radiodifusão é operada como concessão pública tem muita dificuldade de crítica a esse modelo, porque só se informa pela TV e, obviamente, a TV não diz que é uma concessão pública”.

 

Assista mais da palestra do Prof. Lalo, acessando:

http://video.google.com/videoplay?docid=-5451904531479192109

 



Escrito por João Freire às 18h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PT REALIZA I CONFERÊNCIA NACIONAL DE COMUNICAÇÃO

Começou nessa quinta (24) e segue até sábado a I Conferência Nacional de Comunicação do PT, em Brasília. Na abertura, o deputado Maurício Rands, líder do partido, afirmou que “a comunicação independente, plural é um direito de cada um de nós e também um direito coletivo”. Os debates sobre a comunicação vão abordar os seguintes pontos: integração e aperfeiçoamento dos atuais sistemas de comunicação partidária; criação de veículos como jornal, agência de notícias, rádio e TV; relação do PT com a mídia; e unificação do discurso partidário a partir de um núcleo próprio de propaganda.

Nessa sexta-feira (25), a partir das 9h00, no Hotel San Marco, Lalo Leal, Renato Rovai, Frankiln Martins, entre outros profissionais de comunicação, realizam o debate Mídia, Poder e Guerra Ideológica, enfocando o papel da grande imprensa na disputa política e as opções da esquerda para fazer o enfrentamento de idéias. Na parte da tarde, questões como o Direito à Comunicação, convergência tecnológica, TV Pública, rádios comunitárias e concessões estão na pauta do evento, que é aberto ao público.

(Com informações do site do PT)



Escrito por João Freire às 00h47
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




FÓRUM DEFENDE O DIREITO À INFORMAÇÃO

Estão abertas as inscrições para o I Fórum de Mídia Livre, que ocorrerá no Rio de Janeiro, dias 17 e 18 de maio, e reunirá participantes de todo o País. O evento é parte de uma ampla mobilização de jornalistas, acadêmicos, estudantes e ativistas pela democratização da comunicação em defesa da diversidade informativa e da garantia de amplo direito à comunicação.

O setor de comunicação, segundo o manifesto em construção disponível no site do Fórum de Mídia Livre, "não reflete os avanços que ao longo dos últimos trinta anos a sociedade brasileira garantiu em outras áreas. Isso impede que o país cresça democraticamente e se torne socialmente mais justo". E continua: "A democracia brasileira precisa de maior diversidade informativa e de amplo direito à comunicação. Para que isso se torne realidade, é necessário modificar a lógica que impera no setor e que privilegia os interesses dos grandes grupos econômicos (...)".

Programação - O I Fórum de Mídia Livre acontecerá dias 17 e 18 de maio de 2008 (sábado e domingo), das 9h às 17h (com pausas entre os debates e grupos de trabalho). Será realizado no campus da UFRJ da Praia Vermelha, no Auditório Pedro Calmon do Fórum de Ciência e Cultura (FCC) e salas anexas. Endereço: Avenida Pasteur, 250 – Praia Vermelha. O Auditório Pedro Calmon fica no segundo andar do FCC. Confira em breve no site do evento a programação completa do evento.

Inscrições - A participação no I Fórum de Mídia Livre é aberta e a inscrição é obrigatória. Os participantes podem também se informar sobre os pré-encontros em suas respectivas cidades. O custo individual da inscrição é de R$15 (quinze reais) para o público em geral e R$5 (cinco reais) para estudantes, pagos no dia do evento, junto à secretaria executiva do evento. A secretaria executiva do evento emitirá um certificado de participação para os que compareceram nos dois dias de evento.

A inscrição no I Fórum de Mídia Livre não garante, por ora, o transporte, estadia e alimentação dos inscritos, que no entanto estão sendo negociados. Inscreva-se já e participe dos debates:
http://forumdemidialivre.blogspot.com/

(Com informações do Fórum de Mídia Livre)



Escrito por João Freire às 14h47
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Manifestantes do MTM paralisaram a ferrovia Carajás, na semana passada.

 

MÍDIA ATACA OS MOVIMENTOS SOCIAIS

 

Segue com todo o gás o movimento da mídia para a desqualificação do MST e defesa da Vale. Ontem, no Jornal da Band, o apresentador perguntou: “alguém acredita que o MST quer a reforma agrária”? O movimento vem realizando uma série de manifestações e ocupações com o objetivo de pressionar o governo a acelerar a reforma agrária.

 

Na Globo News, o programa Fatos e Versões, conduzido pela insípida Cristiana Lobo, recebeu os jornalistas Valdo Cruz da Folha e Diana Fernandes, de O Globo. Viva a diversidade de opiniões! Na pauta, a paralisação da ferrovia de Carajás, de propriedade da Vale. Os dois jornalistas, Cruz com mais veemência, se dedicaram a defender os interesses da Vale, como se públicos eles fossem. Seguidora do mesmo pacote ideológico, Fernandes preferiu atacar a governadora do Pará, Ana Julia Carepa, do PT. Afinal, ela não mandou a PM bater nos manifestantes.

 

Em nota, a direção nacional do MST afirma que “a obstrução dos trilhos da Estrada de Ferro Carajás, em Parauapebas (PA), na manhã desta quinta-feira (17/4), foi realizada pelo MTM (Movimento dos Trabalhadores na Mineração), que faz uma série de protestos para denunciar a exploração da empresa mineradora Vale e exigir a retomada de parte da área”. (...)

 

Já a Vale, através da assessoria de imprensa afirma que “não vai se calar diante das ameaças do MST ou da falta de responsabilidade de governantes, em especial no Estado do Pará, que se omitem diante de um crime há muito anunciado e que, por incompetência ou por conivência, estão assistindo a esta maré de crimes que nos últimos dias vem aterrorizando o Brasil”. (...)

 

A Vale é uma das maiores empresas de mineração do mundo, gera milhares de empregos, paga milhões em impostos, etc. Mas, isso não coloca a multinacional brasileira acima do bem e do mal. Se há queixas dos trabalhadores na mineração em relação à Vale, deveria haver espaço na mídia para suas opiniões. Especialmente, nas rádios e TVs, concessões públicas que deveriam defender os interesses coletivos e garantir a pluralidade de opiniões.

  

É importante destacar que, na foto acima, disponível na sala de imprensa da Vale, nota-se que os manifestantes vestem camisetas e empunham bandeiras apenas do MTM (Movimento dos Trabalhadores na Mineração).

 

Leia a íntegra da nota do MST em

http://www.mst.org.br/mst/pagina.php?cd=5287

 

Leia a ítegra da nota da Vale em

http://www.vale.com/saladeimprensa/pt/releases/release.asp?id=18208



Escrito por João Freire às 17h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Meu perfil
BRASIL, Centro-Oeste, BRASILIA, Homem, de 36 a 45 anos, Portuguese, English
Histórico
Outros sites
  Secretaria de Direitos Humanos - SDH
  Comissão de Direitos Humanos - Câmara dos Deputados
  Observatório da Imprensa
  Coversa Afiada
  Ética na TV
  Revista Fórum
Votação
  Dê uma nota para meu blog